07
mar

Novo limite de faturamento para MEI exige planejamento financeiro

Sistemas de gestão online oferecem segurança ao empreendedor

Desde janeiro deste ano, o novo teto de faturamento para Microempreendedores Individuais (MEI) passou de R$ 60 mil para R$ 81 mil, uma média mensal de R$ 6,75 mil. A mudança é bem-vinda, mas exige controle do microempresário. De acordo com Reginaldo Stocco, cofundador da VHSYS, startup que fornece solução tecnológica para gestão empresarial, os empreendedores precisam ficar atentos à saúde financeira do negócio e focar em planejamento e ações para não cair em armadilhas.

"Conforme o valor aumenta, as oportunidades de negócios também crescem. Não dá para fazer tudo a mão. Sistemas de gestão oferecem softwares completos para automatizar tarefas e fazer o controle financeiro, emitir nota fiscal, gerar boletos, controle do estoque, vendas, entre outras coisas. Com isso, o empresário consegue ter acesso a relatórios completos, analisar o negócio, alcançar o erro zero e focar menos nas burocracias diárias", explica.

Ainda segundo Stocco, se o microempresário ultrapassar o valor estipulado, obrigatoriamente ele precisará pedir o desenquadramento como MEI e o enquadramento como Simples Nacional. “Quem ultrapassou o limite antigo de R$ 60 mil em 2017 em até 20%, ou seja, teve faturamento de até R$ 72 mil, pode pagar uma multa sobre a diferença e permanecer como MEI", diz.

Para o pequeno empresário que optou pelo Simples o faturamento anual passou de R$ 3,6 milhões para R$ 4,8 milhões.

Imposto de renda

Quem é MEI também precisa declarar Imposto de Renda por meio da Declaração Anual ao Simples Nacional (DASN), referente ao exercício financeiro de 2017. A declaração é gratuita e indispensável para garantir ao empreendedor a continuidade dos benefícios previstos em lei.

"O descumprimento no prazo de entrega da DASN implica em pagamento de juros e multa e pode resultar em cancelamento de benefícios como cobertura previdenciária, isenção de taxas para o registro da empresa e acesso a crédito bancário", alerta Stocco.

A declaração deve acrescentar, basicamente, três informações importantes: faturamento no ano anterior; quanto foi obtido por meio de revenda (comércio) ou venda (indústria) de produtos e se possui algum empregado.

SOBRE A VHSYS

A VHSYS é uma startup paranaense que fornece um sistema online de gestão empresarial descomplicada para micro, pequenos e médios empresários. O sistema conta com módulos para emissão de nota fiscal, controle financeiro, vendas, estoque, além de ter desenvolvido uma loja de aplicativos exclusivos para o software, ampliando suas funcionalidades para o cliente final. A empresa foi criada e é dirigida por Reginaldo Stocco e Luan Stocco em 2011 e recebeu aporte em 2017. Com mais de 100 mil pessoas que já utilizaram o sistema, a startup está localizada em São José dos Pinhas, região metropolitana de Curitiba. Mais informações no site https://vhsys.com.br/.  



« Voltar

23
mai

Empresas fecham contratos por WhatsApp Business

Recursos do aplicativo podem agilizar prospecção e manter clientes satisfeitos

+MAIS

23
mai

UniOpet apresenta oportunidades profissionais para brasileiros no Canadá

Semana Quebec ocorre até o dia 25 de maio

+MAIS

22
mai

Luto Curitiba arrecada doações de inverno para a Casa dos Pobres São João Batista

A tradicional Campanha de Inverno da Luto Curitiba visa coletar roupas, agasalhos e outros produtos até o dia 20 de julho para adultos e crianças atendidas pela instituição

+MAIS

22
mai

Smart City Expo Curitiba tem datas definidas para 2019

A segunda edição brasileira do maior evento sobre cidades inteligentes do mundo será realizada nos dias 21 e 22 de março

+MAIS