11
abr

Fique atento para a declaração de Imposto de Renda para imóveis de alto padrão

Imóveis na planta e adquiridos em conjunto são algumas das questões que devem ter cuidado redobrado

A compra e a venda de qualquer imóvel deve ser informada sempre à Receita Federal na declaração anual de Imposto de Renda. Mas para quem possui imóveis de alto padrão, a atenção deve ser redobrada sobre as regras do Fisco. A posse de imóveis no valor superior a R$ 500 mil é uma das condições que obriga o contribuinte a apresentar a declaração, mesmo que ele não se enquadre em nenhuma outra regra de obrigatoriedade.

Segundo André Marin, diretor de Incorporação da Construtora e Incorporadora Laguna, o contribuinte não deve esquecer de informar o quanto pagou pelo imóvel no ano de 2018, somando todas as parcelas e prestações na compra do imóvel (em caso de financiamento) e sempre indicar os credores com o CNPJ e o saldo devedor. "Essas informações são importantes especialmente em caso de imóveis que não são comprados à vista", explica.

O valor declarado deve sempre ser apenas o que o contribuinte pagou pelo imóvel até o dia 31 de dezembro do ano anterior, incluindo juros de financiamento e a taxa de corretagem paga na compra do imóvel – essa regra, porém, não aplica caso o imóvel tenha recebido reformas, pinturas e reparos, desde que sejam comprovadas.

Caso o imóvel tenha sido adquirido em conjunto com outra pessoa, o contribuinte deve informar apenas sua parte na aquisição. "Mas se o proprietário vendeu o imóvel no ano passado, ele precisa informar o ganho de capital obtido com a operação, sobre o qual incide imposto de 15% para ganhos até R$ 5 milhões”, destaca. “É importante destacar que, em caso de venda do imóvel, o contribuinte tem até 180 dias para adquirir outro imóvel e ter a isenção do ganho de capital”, aconselha.

Planta

Para imóveis adquiridos na planta, o contribuinte deve informar no campo Discriminação da ficha de Bens e Direitos os dados do imóvel e do empreendedor. "Aqui vale uma atenção maior, já que se deve informar apenas o valor pago no ato mais o total das prestações pagas até o ano anterior, se for o caso de parcelamento. Não se deve preencher a ficha Dívida e Ônus reais", orienta Marin.

Para evitar dores de cabeça, a primeira tarefa é separar os documentos que comprovam o negócio: compromisso de compra e venda, escritura, comprovantes de pagamento e recebimento e contratos de financiamento.

O diretor da Laguna orienta que o ideal é sempre consultar um contador, já que imóveis de alto padrão costumam ter valores altos. “É sempre bom estar amparado por um profissional que entende de todos pormenores do Fisco. Assim, o contribuinte fica mais tranquilo e sempre de acordo com legislação”, finaliza.

As dúvidas também podem ser sanadas no site da Receita Federal em www.receita.fazenda.gov.br.

 

Sobre a Laguna

Para quem quer viver o melhor de Curitiba em um empreendimento contemporâneo de alto padrão, a Construtora Laguna desenvolveu o conceito de “imóveis-arte” que entregam inovação construtiva e tecnológica, projetos arquitetônicos únicos e relevantes para seu público alvo. A Laguna trabalha para entender e atender as necessidades de quem procura excelência e diferenciação. Além disso, é a empresa do setor com maior número de projetos sustentáveis certificados ou em processo de certificação no Sul do Brasil.



« Voltar

24
abr

Nadadora do Clube Curitibano garante vaga para Jogos Pan-Americanos no Peru

Fernanda de Goeij venceu os 200 metros costas do Troféu Maria Lenk, no Rio

+MAIS

24
abr

Mercado de condomínios logísticos melhora na Região Sul

Paraná tem a maior absorção líquida, seguido de SC e RS

+MAIS

23
abr

Previdência privada pode garantir conforto na terceira idade

Gerente da Porto Seguro no Paraná lembra que as vantagens de contratar um plano individual vão além da dedução no Imposto de Renda

+MAIS

23
abr

Carmen Steffens desfila no Curitibano

+MAIS