25
out

Você sabe quando procurar o Pronto-Socorro?

Parece simples, mas a busca por atendimento médico ainda gera confusão. Especialista do Hospital Angelina Caron esclarece o que é urgência, emergência e as classificações do Protocolo de Manchester

Conhecido como Protocolo de Manchester, o acolhimento de pacientes baseado na classificação de risco de vida é utilizado em hospitais de todo o mundo para garantir o melhor atendimento a quem precisa. Desde sua criação, o pronto-socorro do Hospital Angelina Caron (HAC) segue esse protocolo internacional, além das recomendações da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Além disso, para tornar os atendimentos mais rápidos e eficientes para os principais casos de urgência e emergência, o HAC inaugurou no início do ano a Unidade de Dor Torácica (UDT), que agiliza o atendimento aos pacientes com doenças cardíacas e respiratórias, em especial atendimentos imediatos de pessoas com infarto.

Chefe do Pronto Socorro do Hospital Angelina Caron, a médica Mariana Singer destaca a importância da triagem na chegada do PS, que leva em conta os sintomas do paciente, o tempo de início desses sintomas e os sinais vitais (pressão arterial e frequência cardíaca, entre outros), a fim de classificar a urgência e priorizar os atendimentos.

“Há estudos mundiais mostrando que cerca de 60% dos atendimentos realizados em prontos-socorros, em geral, não são de urgência e emergência, o que prejudica significativamente a agilidade no atendimento dos pacientes graves ou potencialmente graves”, enfatiza.

Na entrevista a seguir, a especialista esclarece as principais dúvidas sobre quando procurar um pronto-socorro:

 

Quais as orientações para que o paciente procure um pronto-socorro?

​O paciente deve buscar um pronto-socorro quando em quadros agudos, isto é, queixas de início recente. ​Os casos atendidos no PS são aqueles que colocam o paciente em risco de vida: as urgências e emergências, como infarto, AVC, apendicite aguda, acidentes de trânsito, baleados, entre outros.

 

Quando é preciso procurar uma unidade de saúde e não o PS do hospital?

Dores crônicas, solicitações de exames, doenças de longa data e investigações devem buscar atendimento nas unidades municipais de saúde – Unidades Básicas de Saúde (UBSs) ou Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

É preciso lembrar que o ambiente de pronto-socorro é um local para atendimentos dinâmicos e rápidos, com o objetivo de tratar o paciente e evitar complicações mais graves. A superlotação por doenças sem caráter de emergência sobrecarrega o sistema e atrasa o atendimento daqueles que realmente precisam de forma imediata.

Além disso, o ambiente hospitalar aumenta o risco de transmissão e contaminação por doenças, sendo perigoso para quem busca o pronto-socorro sem necessidade e também para os doentes internados.

 

O Pronto-Socorro do HAC segue protocolos internacionais de atendimento. Em resumo, como eles funcionam?

​No nosso pronto-socorro seguimos o Protocolo de Manchester. Ele classifica o paciente em cinco cores diferentes conforme a gravidade e determina um tempo limite para que o atendimento aconteça. A classificação é definida na triagem do paciente assim que ele chega ao hospital. Essa avaliação é feita por uma enfermeira treinada para aplicar o protocolo.

As cores são:

- Vermelho (emergência): neste caso o paciente necessita de atendimento imediato.

- Laranja (muito urgente): o paciente necessita de atendimento o mais rápido possível.

- Amarelo (urgente): neste caso o paciente necessita de avaliação, o caso não é considerado emergência, e o paciente já tem condições de aguardar o atendimento.

- Verde (pouco urgente): Casos pouco graves, que podem inclusive ser tratados em ambulatórios.

- Azul (não urgente): Casos de baixa complexidade, o paciente deve ser tratado em ambulatórios.

 

Como a Unidade de Dor Torácica do HAC tem auxiliado nas situações cardiorrespiratórias mais graves?

 ​A Unidade de Dor Torácica (UDT) foi um grande avanço na qualidade e agilidade dos atendimentos de pacientes com infarto no pronto-socorro do Hospital Angelina Caron. O paciente é prontamente identificado na triagem como paciente do "Protocolo de dor torácica" e atendido por um cardiologista que vai definir como o paciente vai ser tratado. 

Nos casos de infarto o paciente fica internado nessa unidade para ser monitorado 24 horas. A UDT dispõe de serviço de hemodinâmica também 24 horas para realizar os cateterismos e angioplastias de emergência desses pacientes. Quanto mais rápido é o atendimento do paciente cardiológico, melhor é o resultado do tratamento e sua recuperação. 

 

Quais são os diferenciais da gestão do PS feita pelo HAC?

​Nossas equipes de gestão e assistenciais estão sempre reunidas para discussão de protocolos e melhorias do pronto-socorro. No último ano, através de um projeto realizado com recursos de renúncia fiscal captados pelo HAC, reestruturamos todo o Pronto Socorro, desde a parte física até os equipamentos de última geração, que agilizaram e melhoraram o atendimento dos nossos pacientes. 



« Voltar

18
fev

Helicóptero será leiloado a lances livres

Aeronave será vendida por quem der o maior lance, independentemente do preço

+MAIS

17
fev

Empresa oferta curso de graça para formar vendedores

Segunda edição do curso oferecido pela vhsys tem 15 vagas certificadas pelo Senac. No primeiro curso, metade dos participantes foi contratada

+MAIS

13
fev

Carnaval é oportunidade para pequenos nichos de mercado impulsionarem as vendas

Carnaval é oportunidade para pequenos nichos de mercado impulsionarem as vendas

+MAIS

12
fev

Profissão de leiloeiro é promissora, mas requer espírito empreendedor

Atividade exige investimento inicial e experiência jurídica

+MAIS