25
nov

Venda de imóveis rurais por meio de leilão cresce 18% no Paraná

Interessados podem comprar chácaras e fazendas por metade do valor de mercado

Mais de 2.300 mil áreas rurais no estado do Paraná foram vendidas desde o início do ano até novembro, segundo dados do Sindicato dos Leiloeiros Públicos Oficiais dos Estados do Paraná e Santa Catarina (Sindileisc). O crescimento em relação a 2019 é de 18%. De acordo com o sindicato, a pandemia não influenciou negativamente esse segmento. No Brasil, foram mais de 24 mil propriedades, desde chácaras até fazendas. A maior concentração fica nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Tocantins.

Segundo o leiloeiro público Helcio Kronberg, o Brasil tem um grande estoque de áreas rurais e os preços têm aumentado ano a ano, assim como a capacidade de produção por hectare. Diversos fatores levam essas propriedades a serem leiloadas, o que deixa as áreas até 50% mais baratas, atraindo investidores ou interessados em morar em um lugar afastado da cidade. 

"Por causa de práticas equivocados de pecuaristas e agricultores, várias áreas são entregues para pagamento de dívidas. Quando são objeto de penhora em ações de execução, ou mesmo de execução fiscal, as áreas são vendidos a partir dos 50% do valor, o que torna o negócio muito interessante para compradores. Outra causa é a perda de terras para a União por plantações identificadas com a produção de  drogas. Neste caso, são vendidas por um valor também a partir de 50% da avaliação", explica.

Segundo Kronberg, em 2020 foram mais 100 mil imóveis rurais colocados à venda, dos quais 9.500, ou quase 10%,  no estado do Paraná. "Nem todos os leilões chegaram à fase de lances, pois em execuções é possível que as partes se componham a fim de evitar a alienação do bem do executado. Esses números incluem a execução fiscal, federal, estadual e municipal", diz.

Áreas para todos os tipos

Nos leilões de áreas rurais há diferentes tipos de bens e tamanhos, desde fazendas e espaços para agricultura ou pecuária até sítios, chácaras ou terrenos sem nenhum tipo de construção. "Os investidores podem adaptar essas áreas de acordo com suas necessidades. O espaço pode ser apenas uma área de lazer ou uma nova fonte de economia por meio de criação de horta ou animais", esclarece.

Os interessados podem acessar o site da Kronberg Leilões para consultar dezenas de áreas rurais disponíveis para leilão até o final do ano.

Sobre Helcio Kronberg

Leiloeiro público oficial com 21 anos de experiência na área. É autor do livro “Leilões Judiciais e Extrajudiciais”, lançado pela Editora Hemus. É autor de vários livros e docente, além de jurisconsulto com várias titulações acadêmicas. Para mais informações basta acessar: https://www.kronbergleiloes.com.br/