30
abr

O jogo de tabuleiro ganha espaço nas empresas para treinar as equipes em habilidades socioemocionais

O método Super Cérebro cria um ambiente lúdico e de confiança, relacionando a experiência dos jogos com o comportamento humano

Quando pensamos em um jogo de tabuleiro, imediatamente associamos à infância. Aquela mesa repleta de crianças com um mesmo propósito: vencer. Os jogos têm regras e objetivos claros, mas para chegar até o final não basta conhecê-las. É preciso ter habilidades como persistência, estratégia, liderança, planejamento e capacidade de concentração. É por isso que esse tipo de jogo tem ganhado espaço dentro das empresas que buscam ferramentas para desenvolver as habilidades socioemocionais de seus colaboradores, as chamadas soft skills. O tabuleiro é um dos recursos que integram o método Super Cérebro Empresas, criado para auxiliar gestores no desenvolvimento das competências comportamentais de suas equipes.

“No momento em que criamos um ambiente lúdico, seguro e definido por um conjunto de regras, como o jogo de tabuleiro, convidamos os participantes a se expressar. O relacionamento interpessoal é colocado à prova, o que permite uma melhor percepção sobre os pontos cegos e oportunidades de desenvolvimento das habilidades socioemocionais”, diz Rodrigo Ladeira, diretor de novos negócios do Super Cérebro.

Os jogos seguem uma narrativa e criam um contexto para que atividades de simulação, análise de cases e outros tipos de dinâmicas se tornem mais interessantes, aumentando o engajamento e a participação voluntária dos jogadores. Esses fatores são essenciais para que as soft skills sejam percebidas, praticadas e avaliadas. “O método Super Cérebro Empresas desenvolve competências que não são exploradas na formação profissional, mas que se revelam muito necessárias no dia a dia corporativo.”

Ladeira explica que a dinâmica é aplicada em grupos de 5 até 20 pessoas e dura aproximadamente oito horas, mas pode ser ajustada à realidade de cada empresa. A agenda inclui a apresentação de um vídeo de introdução seguido pela aplicação de dois jogos de tabuleiro colaborativos. Para cada jogo há também um vídeo que faz a associação sobre a experiência vivida com a habilidade que está sendo desenvolvida.

Todos os vídeos são apresentados por renomados conferencistas, como Waldez Ludwig, psicólogo e consultor em gestão empresarial, Alfredo Rocha, que é estudioso nas áreas de psicologia, filosofia e sociologia, com especialização em comunicação, e o Professor Gretz, um dos principais palestrantes motivacionais do Brasil.

“Essa solução foi criada para atender empresas dos mais diversos setores e de diferentes tamanhos. O treinamento combina ferramentas pedagógicas e estratégias de ensino, flexíveis e modernas, com o objetivo de desenvolver equipes de alta performance. O trabalho abre novas possibilidades para que os profissionais se adaptem às exigências comportamentais de mercado na Revolução 4.0”, explica Ladeira.

O Grupo Super Cérebro atua desde 2013 no desenvolvimento de competências cognitivas e socioemocionais para todas as idades. O método exclusivo para empresas foi criado após pesquisas no Japão e nos Estados Unidos. “Identificamos uma necessidade latente de soft skills no universo corporativo.  As habilidades socioemocionais não são trabalhadas na maioria das escolas e nem na graduação. Explorar essas habilidades torna o profissional mais competitivo e isso contribui diretamente para melhores resultados na organização em que ele atua”, ressalta o diretor de novos negócios.

Pandemia acelerou o processo

O que já era uma necessidade ficou ainda mais evidente com a pandemia. Muitas empresas adotaram o trabalho remoto e habilidades como comunicação, colaboração e trabalho em equipe passaram a ser indispensáveis nesse novo modelo. Qualidades como a disposição para o aprendizado contínuo, relacionamento interpessoal, foco em resultados, comprometimento, responsabilidade, empatia, estratégia e tomada de decisão são consideradas hoje tão ou mais importantes que as competências técnicas, ou seja, as hard skills.

Uma pesquisa realizada pela Manpower Group com 26 mil empregadores em 43 países indica que um terço está investindo no treinamento dessas habilidades nos seus funcionários. No Brasil, onde foram ouvidos 450 empregadores, esse percentual é de 43%.

Super Cérebro Empresas

O treinamento tem seis módulos, que podem ser oferecidos de forma unificada ou independente:

Liderança por propósito

Criatividade e inovação

Cooperação e trabalho em equipe

Comunicação Interpessoal

Inteligência emocional

Fácil adaptação e flexibilidade

A solução está disponível para empresas de todo o Brasil em mais de 200 franquias do Grupo Super Cérebro. Mais informações no site https://www.supercerebro.com.br/empresas

 



« Voltar

13
mai

Leilão traz guitarra, televisão, cama e outros bens com preços 60% abaixo do mercado

Leilão online oferece mais de 50 itens em vários estados do Paraná

+MAIS

13
mai

Super Cérebro está entre as empresas mais inovadoras do Sul

O reconhecimento é do ranking “Campeãs da Inovação” da Revista Amanhã

+MAIS

12
mai

Dia da Enfermagem: Profissionais da linha de frente ganham cabine de abraço e vídeos especiais

Ação do Hospital Angelina Caron reuniu depoimentos de colaboradores e famosos para homenagear enfermeiros que atuam no combate à Covid-19

+MAIS

11
mai

Casa: 4 tendências que vieram para ficar após a pandemia

Do uso flexível das varandas até a integração de ambientes, apartamentos tiveram seus espaços transformados com o isolamento social e usos do home office

+MAIS