25
nov

Metade dos doentes crônicos abandonou check-up médico na pandemia

Pesquisa do Hospital Angelina Caron revela que 50% dos pacientes da instituição deixaram de fazer acompanhamento regular, e 30% fizeram uso incorreto de medicação

HAC conta com Unidade de Tor Torácica que agiliza atendimento a emergências cardíacas

Desde o início da pandemia da Covid-19, em março de 2020, a comunidade médica e científica vem alertando sobre a importância de se manter a rotina de consultas, exames e acompanhamento médico, especialmente entre pessoas com doenças crônicas, como hipertensão e diabetes. Uma pesquisa recente feita pelo Departamento de Ensino e Pesquisa do Hospital Angelina Caron (HAC), na Região Metropolitana de Curitiba, revela que 50% dos pacientes com comorbidades não mantiveram seus tratamentos médicos durante a pandemia.

“Fizemos um questionário com pacientes que tomaram as duas doses da vacina contra a Covid-19 e que utilizam exclusivamente o Sistema Único de Saúde, a maioria de baixa renda e com pouca escolaridade (até o ensino fundamental). 75% deles não tiveram Covid-19, mas dos 25% que desenvolveram a doença, 54,5% possuíam como comorbidade principal a hipertensão. A pesquisa mensurou ainda que 30% deles fizeram uso incorreto de medicação contra hipertensão (ou deixaram de tomar a medicação) durante a pandemia”, explica o médico Dalton Precoma, chefe da cardiologia do HAC e diretor do Departamento de Ensino e Pesquisa.

Um dos participantes do estudo é José Marchi, de 70 anos, morador de Colombo. “Sou paciente do Hospital Angelina Caron desde 2010, mais ou menos, quando me encaminharam para fazer um cateterismo. Desde então, tenho acompanhamento frequente, porque tenho pressão alta e diabetes. Na pandemia, acabei indo apenas no posto de saúde, sem conseguir fazer as consultas no hospital. Mas agora estou de volta”, conta.

O médico destaca ainda que o brasileiro, em geral, sofre com comorbidades. Mas com a pandemia, a maioria abandonou tratamento, consulta e medicamentos. “Com as consequências de aumento de peso, alimentação irregular e aumento da ansiedade, aumentaram os fatores de risco, trazendo-os de volta ao hospital com problemas prévios e novos. Outras comorbidades presentes na amostragem incluem infarto, acidente vascular cerebral (AVC), doença arterial, taquicardias. Apenas 10% não possuem comorbidades”, esclarece, reforçando que os atendimentos de urgência e emergência relacionados a questões cardíacas são realizados na Unidade de Dor Torácica (UDT) do Hospital Angelina Caron.

Segundo Precoma, a falta de acompanhamento durante quase dois anos ainda vai ter reflexos por um tempo, mas a maioria pode ser remediada. “Para isso, é preciso consciência e retomar os check ups médicos regulares, e o atendimento médico quando sentir algum sintoma recente, em nossa Unidade de Dor Torácica. Estamos atentos, toda nossa equipe está empenhada em atender esses pacientes e auxiliá-los a identificar esses sinais”.

Pronto Socorro 24 horas

O Pronto-Socorro do Hospital Angelina Caron atua de forma ininterrupta, durante 24 horas. Equipado com heliponto, oferece estrutura nos padrões de qualidade internacionais, com atendimento de urgência e emergência nas áreas de politraumatizados, ortopedia, pediatria e grandes emergências clínicas. Além disso, o HAC possui Unidade de Dor Torácica (UDT), que agiliza o atendimento aos pacientes com doenças cardíacas e respiratórias, em especial atendimento imediato de infarto, minimizando sequelas com mais chances de salvar vidas.

Sobre o Hospital Angelina Caron

O Hospital Angelina Caron tem como missão atender plenamente os seus mais diversos públicos, de forma igualitária, humanizada e integral. Localizada ao lado de Curitiba, em Campina Grande do Sul, a instituição é um centro médico-hospitalar de referência no Sul do Brasil. Tem como pilares os mais rigorosos princípios éticos e o compromisso social, além de 38 anos de tradição para oferecer a melhor promoção em saúde e possibilitar a retomada da qualidade de vida. O HAC realiza mais de 400 mil atendimentos por ano em pacientes de todo o país, incluindo particulares e por convênios, sendo um dos maiores parceiros do SUS no Estado. Com investimentos frequentes em tecnologia e equipamentos de última geração, o hospital atua em todas as vertentes da medicina, conta com Serviço de Transplantes de Órgãos reconhecido internacionalmente e é um centro tradicional de fomento ao ensino e à pesquisa.



« Voltar

03
dez

Open Source pode impulsionar a transformação digital de governos

Evento online gratuito da Red Hat vai apresentar soluções para serviços governamentais

+MAIS

01
dez

Shopping Mueller presenteia clientes com coleção exclusiva de ursos

Os filhotes de Caramelo e Baunilha podem ser levados para casa, com certidão de nascimento personalizada e um livro de histórias. São cinco opções de personagens para escolher

+MAIS

30
nov

Tradicionais marcas paranaenses, Açúcar Diana e Café Diana serão vendidas

Marcas fazem parte da massa falida da fabricante Emilio Romani S/A, que entrou em falência em 1997

+MAIS

29
nov

Faculdade de Direito oferta curso integral gratuito com nota do Enem 2021

Benefício vale para o período matutino de todo o curso; ingresso será exclusivo para participantes do Enem deste ano

+MAIS